3 de abril de 2011

(Pré)Descoberta

Capítulo Seis

- Meu nome é Emilly – disse a garota, que ainda sustentava sua mão no ar.
- Prazer em conhecê-la – disse Taylor, estendendo sua mão.
Emilly desvencilhou-se da mão de Taylor naturalmente e voltou a sentar-se na poltrona ao canto da aparente sala. Era estranho dizer o que de fato era aquele cômodo, pois tudo o que havia era uma lareira que aparentava não ser usada há séculos, muitas velas sobre uma mesa de centro e no canto oposto à janela, uma poltrona antiga.
- Número 3, busque uma almofada para nossa hóspede – ordenou Emilly com um tom de autoritarismo na voz, porém, ainda doce.
- Sim senhora... senhorita – falou Número 3, indo em direção à uma porta que até então Taylor não percebera.
Enquanto o suposto criado não voltava, supunha Taylor, as duas garotas permaneceram caladas. De um lado da sala estava Emilly, sentada tranquilamente. Do outro lado Taylor, em pé, com os dedos de suas mãos entrelaçados.
Um minuto depois Número 3 entrou na sala com os braços estendidos e sobre eles duas almofadas, uma totalmente branca e a outra num tom de rosa claro. Parou diante e Taylor, abaixou-se e deixou com que as almofadas caíssem delicadamente sobre o chão poeirento. Taylor percebeu que uma pequena faixa de luz que vinha da janela, fazia com que as pequenas partículas de poeira que agora flutuavam pelo cômodo vazio, ficassem visíveis.
Mesmo com a volta de Número 3 o silêncio ainda continuava cada vez mais angustiante, até que Emilly resolveu quebrá-lo:
- Você deve estar querendo saber por que mandei Número 3 trazê-la até mim, não é Taylor? - perguntou.
- Sim - respondeu Taylor, assentindo com a cabeça ao mesmo tempo que falava.
- Ele com certeza deve ter lhe dito que você foi a garota escolhida, não é?
- Foi algo assim. – disse Taylor, recordando as palavras de Número 3.
- Eu a escolhi para algo muito importante, e conto com a sua ajuda, já que é a única capaz.
- Importante para que? – perguntou Taylor, confusa.
- Nós, pessoas de Marte, estamos sendo “ameaçados” e você é a única pessoa do seu planeta capaz de nos ajudar.
- Ameaçados? Como assim?
- Ameaçados por seus “irmãos” de planeta Taylor. Eles estão cada vez mais próximos de nos descobrir. Você não sabe o quanto é ruim não saber quando eles estarão chegando para que nós possamos “esconder-nos” – desabafou Emilly.
- Oh – foi tudo o que Taylor pode pronunciar, atônita.

Um comentário:

  1. ;O :O Pensei que seria um mundo paralelo de "alienigenas", mas é outro planeta ;O
    Surpreendeu *-*
    Amando seu livro, sério...
    bjjs

    ResponderExcluir