27 de maio de 2014

Mania de sorrisos


Acordo mais cedo que o normal, para preparar os últimos detalhes antes da viagem. Você ainda dorme, feito um anjo. Sento na cama e te trago para mais perto, no meu colo. Seguro suas mãos com uma das minhas e com a outra faço cachinhos em seu cabelo. Você acorda e sorri; aquele sorriso iluminado que é tão meu. Beijo seus lábios rapidamente e sussurro “precisamos levantar, moço”. Vejo seus lábios se contraindo, formando um bico de gato manhoso, que só você é capaz de fazer. Sorrio, encorajando-o a levantar. Você levanta e senta de frente para mim, me puxa para perto, passando minhas pernas em volta da sua cintura, sempre com aquele sorriso no rosto; uma mistura de “sou inocente” com “quero tirar sua roupa”. Você me beija lentamente. Os dedos roçando a pele do meu braço. Sinto cada pelo do meu corpo arrepiar e o ar a faltar em meus pulmões, conforme o beijo aumenta de intensidade. De repente, você para o beijo e morde minha bochecha. Levanta comigo ainda em seu colo e sussurra “não queremos nos atrasar, não é, mocinha”. Agora é minha vez de fazer carinha de gato manhoso. Mas você me põe no chão, sorrindo, malicioso, e dá um tapa em meu bumbum, dizendo “anda logo, moça. Já para o banho”. Obedeço. Tomo um banho rápido, coloco meus jeans e camiseta surrados, prendo o cabelo num coque alto e saio em direção à cozinha. Você está sentado à mesa, com um livro numa das mãos e comendo o café da manhã com a outra. Quando me vê na porta, sorri; o sorriso iluminado de moço apaixonado, e diz o quanto fiquei linda com aquelas roupas velhas. Sento em frente a você, com o lanche à minha frente. Percebo que são ovos mexidos com bacon, e este último, colocado por cima dos ovos, formando um coração. Sorrio para ti; aquele sorriso de felicidade, capaz de encher a alma de alegria e transbordar o que sinto, para que ti veja o quanto estou feliz. O quanto sou feliz.