15 de junho de 2014

Tarde de inverno


Está muito frio essa tarde, 8º segundo o aplicativo do celular, e estou congelando. Liz resolveu que tínhamos de aproveitar os últimos dias no sul e para isso deveríamos sair de casa. Fomos ao cinema mais cedo, e para onde vamos agora é uma incógnita para mim. 
Essa moça é meio agitada, credo. Talvez seja por conta dos anos longe da cidade. Olho para ela, usando apenas um vestido de lã e um sobretudo por cima, e juro, não sei como ela aguenta esse frio. 
Ela agarra minha mão e me arrasta por mais uma rua. Já foram três, desde que saímos do shopping. 
Uma quadra depois chegamos a uma praça cheia de barraca de feira. Ela vira para mim. Posso ver o brilho em seu olhar e as bochechas vermelhas. "Está com frio", penso. Passo um braço em volta de sua cintura, dou um beijo em sua bochecha e vejo-a sorrir.
- Vem, Tom. Vamos tomar algo quente - ela diz, me puxando para uma das barracas mais ao fundo da praça.
Paramos em uma delas e Liz pede quentão com porção de pinhão. Penso "poderia ser batata frita", mas não digo nada. Dois minutos depois o atendente aparece com o nosso pedido. Pego as bebidas e espero Liz me guiar. Ela pega a porção e vai na frente, conduzindo-nos até um dos bancos da praça.
- Então, Tom - ela diz, roubando um dos copos e sorrindo. - O que está achando do frio?
- Sacanagem, Liz, me tirar de casa logo hoje - digo, percebendo a fumaça quente que sai da minha boca.
- Sacanagem nada. No fim do dia você vai implorar para repetirmos - ela sorri, maliciosa.
Retribuo o sorriso e tomo um gole da minha bebida.
- Caralho! - xingo, colocando a língua queimada para fora.
Liz solta uma risada e se aproxima, lascando uma mordida na ponta da língua. Afasto-me, fazendo cara feia para ela, ao que responde com um beijo quente e doce.
- Eu te amo, bobo - sorrio quando ela sussurra essas palavras entre um beijo e outro.
- E eu te amo mais, bobona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário