2 de agosto de 2014

Confie em mim



É início de agosto e a chuva cai com força no telhado. Estou sentado no sofá com Liz deitada em meu colo,  fazendo careta toda vez que troco o canal na televisão. É um desses dias em que não há nada para fazer. Acabo deixando num canal de música no qual está tocando uma de minhas músicas favoritas. Olho para Liz e tenho uma vontade gigantesca de puxá-la para dançar, e é o que faço. Levanto do sofá com ela no colo e coloco-a de frente para mim.
- Concede-me esta dança, princesa? – pergunto, estendendo a mão e fazendo uma pequena reverência.
- Tom, eu não sei dançar.
- Aprendemos juntos, Liz.  Venha. – pego sua mão, puxando-a para perto e agarrando sua cintura.
Passo o braço direito sob e seu, dando apoio, e pego sua mão com a outra. Ela sorri, ficando vermelha. Dou um beijo em sua testa e começo a instruí-la.
- Olhe em meus olhos e confie em mim – peço. – Agora sinta a música.
A sala se enche de um clima suave com a  voz de Rachel Taylor ao fundo. Nunca dancei esse tipo de música antes, mas esta é uma daquelas  que te fazem querer dançar, nem que seja apenas movendo o corpo para lá e para cá. E é assim que fazemos. Deixamos que a música nos envolva e nos diga o que fazer.
- I'll spin you around, won't let you fall down – canto baixinho em seu ouvido.
 Aproveito o momento da música, e faço-a girar. Ela começa a rir, e seu riso é tudo o que eu precisava para fazer desse momento um dos mais felizes. Puxo-a de novo para os meus braços e beijo-a ternamente, fazendo o momento durar um pouco mais. Ficamos abraçados balançando de um lado para o outro, mesmo depois que a música acabar, sem querer desgrudar um do outro.
- Eu te amo tanto, Tom – ela sussurra em meu ouvido.
- Eu te amo tanto, Liz – sussurro de volta, entre um beijo e outro.